As festas juninas são comemoradas durante todo o mês, de 1 a 30 de junho, em honra a três santos: Antônio, João e Pedro.

Há quem defenda a ideia de que devem ter início no dia 12 (véspera de Santo Antônio) e terminar no dia 29 (véspera de São Pedro).

Elas também são conhecidas como festas de São João, afinal esse é o mês desse que é o “santo festeiro” da comemoração. É possível que o nome decorra do mês, enquanto outros defendem que São João é o motivador dessa nomenclatura. Vale lembrar que no princípio a festa era conhecida como Festa Joanina.

Santos Juninos
Santo Antônio, São João Batista e São Pedro

Origem

Apesar de hoje estar embasado num forte teor cristão, a origem das festas juninas é pagã. O mês de junho é final da primavera e começo do verão no hemisfério norte e o dia 24 é o solstício de verão no hemisfério norte, quando os povos promoviam festas para pedir fartura nas colheitas.

Como não conseguia extinguir essa tradição, a Igreja Católica introduziu nelas o caráter religioso. Fez isso aproveitando os dias dos santos mais populares que são comemorados no mês de junho. Primeiro com São João e São Pedro, e mais tarde, especialmente em Portugal, com Santo Antônio.

Tudo começa com Santo Antônio, seguindo-se o dia de São João e terminando com São Pedro.

Santo Antônio, popularmente chamado de “santo casamenteiro”, é comemorado no dia 13 de junho, dia da sua morte. Na véspera, dia dos namorados, as moças que querem casar fazem simpatias e orações ao santo.

São João, o “santo festeiro”, é comemorado no dia 24 de junho, dia do seu nascimento. Além de ter batizado Jesus, São João era seu primo e o primeiro a reconhecer Jesus como o Messias.

São Pedro é comemorado no dia 29 de junho. Pescador, foi discípulo e o primeiro Papa da Igreja. Também é conhecido como o dia de São Pedro e São Paulo por essa ser a data da morte dos dois santos.

Brasil

O Brasil tem uma tradição forte em festas juninas. Elas fazem parte do folclore brasileiro e compreendem aspectos de culinária como a pipoca, canjica, arroz-doce, vinho-quente ou quentão, a dança em forma de quadrilha, brincadeiras como pescaria, saltar a fogueira, subir no pau de sebo, e muitas outras tradições, tal como as simpatias.

Como São Pedro é padroeiro dos pescadores, as cidades costeiras do Brasil quase sempre têm uma capela em sua homenagem, o que contribui para a popularização da festa.

Igualmente, a devoção a São João e a Santo Antônio é popular devido aos portugueses. Afinal, "João" foi o nome de vários reis de Portugal que faziam construir uma capela para honrar seu padroeiro.

Santo Antônio, como natural de Lisboa, sempre teve apreço entre os portugueses que trouxeram esta devoção para o Brasil. Além dos templos levantados sob sua invocação é raro encontrar uma igreja que não tenha uma imagem sua. 

Nordeste

Festa Junina
A festa junina de Campina Grande/PB inclui concurso de quadrilha

Embora seja comemorada em todo Brasil, é no nordeste brasileiro que encontraremos as maiores festas de juninas.

Na cidade de Campina Grande, na Paraíba, se realiza o "Maior São João do Mundo", uma celebração comparável ao Carnaval carioca em termos de organização, infra-estrutura e retorno econômico. 

Contudo, a cidade de Caruaru, em Pernambuco, disputa o título com a cidade paraibana, oferecendo um mês de festa, forró e o Festival de Comidas Gigantes.