A Semana Santa é a semana antes da Páscoa, que começa no Domingo de Ramos e termina no dia da Páscoa.

Essa semana recorda os últimos dias de Jesus Cristo antes de ele ter sido crucificado, na Sexta-feira Santa, e termina com a comemoração da sua ressurreição, no Domingo de Páscoa.

A Páscoa é uma das comemorações mais importantes para os cristãos, porque comemora a ressurreição de Jesus Cristo, o homem que deu origem à religião cristã.

Durante a Semana Santa há muitas celebrações nas igrejas.

Significado da Semana Santa

A Semana Santa é a semana que recorda os últimos dias de Jesus Cristo antes de ele ser crucificado e ressuscitado, ao terceiro dia da sua morte. Representa três momentos da vida de Jesus:

  1. Paixão (sofrimento)
  2. Morte
  3. Ressurreição 

A Semana Santa inicia durante a Quaresma, um tempo de arrependimento e mudança para os cristãos, pois recorda o tempo em que Jesus ficou no deserto jejuando e orando. A Quaresma termina na quinta-feira da Semana Santa.

Na Quinta-feira Santa, à tarde, começa o Tríduo Pascal, que compreendem as últimas celebrações da Semana Santa: Sexta-feira Santa, Sábado de Aleluia e Páscoa. 

Significado dos Dias da Semana Santa

A Semana Santa compreende os seguintes dias de celebração:

  • Domingo de Ramos
  • Segunda-feira Santa
  • Terça-feira Santa
  • Quarta-feira Santa
  • Quinta-feira Santa
  • Sexta-feira Santa
  • Sábado de Aleluia
  • Domingo de Páscoa 

Domingo de Ramos

Pessoas com ramos na procissão do Domingo de Ramos
Pessoas com ramos na procissão do Domingo de Ramos

O Domingo de Ramos é o primeiro dia da Semana Santa.

Ele recorda a chegada de Jesus Cristo a Jerusalém que, montado em um jumentinho, foi saudado pelo povo que abanava ramos de palmeiras, motivo pelo qual ficou conhecido como Domingo de Ramos.

Jesus era um rei humilde, por isso, escolheu um jumentinho que, além da humildade, representa a paz; o inverso do cavalo, que remete à guerra.

No Dia de Ramos, há a benção dos ramos. Nas igrejas, os ramos benzidos são queimados e as suas cinzas são usadas para marcar a testa das pessoas na celebração da Quarta-feira de Cinzas do ano seguinte. 

Segunda-feira Santa

A Segunda-feira Santa é o segundo dia da Semana Santa.

Ele recorda o acontecimento de alguns episódios bíblicos importantes para o Cristianismo, como o dia em que Jesus expulsou os que estavam fazendo comércio no templo:

Jesus entrou no templo e expulsou todos os que ali estavam comprando e vendendo. Derrubou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas, e lhes disse: "Está escrito: 'A minha casa será chamada casa de oração'; mas vocês estão fazendo dela um 'covil de ladrões'. (Mateus 21, 12-13)

Terça-feira Santa

A Terça-feira Santa é o terceiro dia da Semana Santa.

Também é conhecida como a Grande e Sagrada Terça-feira. A data recorda que Judas Iscariotes, um dos discípulos de Jesus, o trairia. Além disso, recorda que outro discípulo, Pedro, negaria que conhecia Jesus.

Quarta-feira Santa

A Quarta-feira Santa é o quarto dia da Semana Santa.

A data recorda a traição de Judas Iscariotes, um entre os doze discípulos de Jesus. Judas ofereceu-se para entregar Jesus aos que planejavam matá-lo, em troca de dinheiro. 

Então, um dos Doze, chamado Judas Iscariotes, dirigiu-se aos chefes dos sacerdotes e lhes perguntou: "O que me darão se eu o entregar a vocês?" E fixaram-lhe o preço: trinta moedas de prata.

Desse momento em diante Judas passou a procurar uma oportunidade para entregá-lo. (Mateus 26, 14-16)

Quinta-feira Santa

Cerimônia do Lava-pés na Quinta-feira Santa
Cerimônia de lavagem dos pés, na Quinta-feira Santa

A Quinta-feira Santa é o quinto dia da Semana Santa.

Ele recorda a Última Ceia de Jesus Cristo com os doze discípulos, data em que foi instituída a Eucaristia e a Ordem.

A Eucaristia é o sacramento em que os fiéis recebem e consomem uma partícula feita de farinha, que passa por um ato religioso. Após esse ato, os fiéis acreditam que a partícula torna-se em uma parte do próprio corpo de Jesus Cristo.

Ordem e é o sacerdócio. Quando Jesus pediu “façam isto em memória de mim”, estava preparando aquele grupo para celebrar a Eucaristia e também para continuar a sua missão, que é a missão dos padres, bispos e demais homens preparados pela igreja. 

Tomando o pão, deu graças, partiu-o e o deu aos discípulos, dizendo: "Isto é o meu corpo dado em favor de vocês; façam isto em memória de mim". (Lucas 22, 19)

Na mesma ocasião, Jesus lavou os pés de cada um dos seus discípulos, demonstrando a sua humildade.

Nesse dia, as igrejas celebram a cerimônia do Lava-pés. Na quinta-feira Santa, à tarde, começa o Tríduo Pascal, que compreendem as últimas celebrações da Semana Santa: Sexta-feira Santa, Sábado de Aleluia e Páscoa. 

Sexta-feira Santa

Recriação da crucificação de Jesus na Sexta-feira Santa
Recriação da crucificação de Jesus na Sexta-feira Santa

A Sexta-feira Santa é o sexto dia da Semana Santa.

Também conhecida como “Sexta-feira da Paixão”, porque com origem do latim, paixão significa sofrimento.

A data recorda o dia em que Jesus Cristo morreu crucificado. Nesse dia, a Igreja aconselha os fiéis cristãos a fazerem algum tipo de penitência, como jejum e abstinência de carne ou de qualquer ato que se refira ao prazer mundano. 

Sábado de Aleluia (Sábado Santo)

O Sábado de Aleluia é o penúltimo dia da Semana Santa e corresponde ao segundo dia da morte de Jesus Cristo, por isso, é um dia de silêncio, porque Jesus está morto.

Nesse dia, à noite, a Igreja Católica faz a Vigília Pascal, que celebra a ressurreição de Jesus.

Domingo de Páscoa

O Domingo de Páscoa é o último dia da Semana Santa.

A Páscoa significa a passagem da morte para a vida, uma vez que comemora o dia da ressurreição de Jesus Cristo. 

Depois de morrer, o corpo de Jesus foi colocado em um sepulcro, onde permaneceu até ressuscitar ao terceiro dia. Jesus morreu na sexta-feira, portanto é considerado o primeiro dia, sábado é considerado o segundo e domingo é considerado o terceiro, dia em que Jesus ressuscitou.

Significado da Páscoa

A Páscoa significa a vitória da vida sobre a morte, porque Jesus morreu e ressuscitou. 

Para os cristãos, Jesus Cristo é a pessoa que traz esperança (a luz), acreditando que ele seja capaz de salvar a humanidade de todo o mal (as trevas).

Significado da Páscoa para católicos e evangélicos

Para os católicos e para os evangélicos, a Páscoa significa esperança, porque o fato de ter morrido e ressuscitado representa que a vida venceu a morte.

Enquanto esteve entre os homens, Jesus deixou mensagens de esperança aos que cressem n’Ele: “... o Senhor protege aqueles que o temem, aqueles que firmam a esperança no seu amor, para livrá-los da morte e garantir-lhes vida…” (Salmo 33:18-19)

Católicos e evangélicos são cristãos. O Catolicismo e o Evangelismo são vertentes do Cristianismo, que se baseia na fé em Jesus Cristo.

Assim, a Páscoa para os católicos tem o mesmo significado que a tem para os evangélicos. A diferença entre católicos e evangélicos está na forma como a Páscoa é comemorada.

Na Sexta-feira Santa, por exemplo, enquanto os católicos não costumam comer carne, os evangélicos não têm esse costume.

Origem da Páscoa

Em hebraico, a Páscoa é chamada de Pessach, que significa “passagem”, fazendo referência à travessia feita pelo povo hebreu, quando conseguiu sair do Egito.

Para os cristãos, a Páscoa também é uma passagem: a passagem da morte da para a vida, ou das trevas para a luz.

A celebração da Páscoa tem origem judaica. Antes de Jesus, a Páscoa já era comemorada, mas tinha outro significado. 

A Páscoa judaica comemorava a liberdade, porque o povo hebreu foi escravizado no Egito e depois de um longo período os egípcios os libertaram, conforme está escrito na Bíblia:

“Naquela mesma noite o faraó mandou chamar Moisés e Arão e lhes disse: "Saiam ime­diatamente do meio do meu povo, vocês e os israelitas! Vão prestar culto ao Senhor, co­mo vocês pediram.

Levem os seus rebanhos, como tinham dito, e abençoem a mim também".” (Êxodo 12:31-32)

“Ora, o período que os israelitas vive­ram no Egito foi de quatrocentos e trinta anos.

No dia em que se completaram os quatrocen­tos e trinta anos, todos os exércitos do Senhor saíram do Egito.” (Êxodo 12:40-41)

Quando Jesus ressuscitou, estava sendo comemorada a Páscoa judaica. Então, o Episódio da morte e ressurreição de Jesus trouxe um novo significado da Páscoa para os cristãos, o qual tem pontos semelhantes.

Para saber mais sobre os dias da Semana Santa, leia:

Leia também: Páscoa Judaica: como é comemorada e qual o seu significado