Em 2020, no nosso calendário, celebra-se a Páscoa Cristã em 12 abril, enquanto que a Páscoa Judaica ocorre no período de 8 a 16 de abril.

No Judaísmo, a Páscoa ou Pessach, em hebraico, comemora a liberdade do povo judeu após um longo período de escravidão no Egito, segundo registros da Torá, as Sagradas Escrituras.

O Cristianismo tem Jesus Cristo como o Messias e, de acordo com os relatos do Novo Testamento da Bíblia Sagrada, sua ressurreição ocorreu durante o Pessach, trazendo aos cristãos um novo significado para Páscoa.

Confira a seguir quais as principais diferenças entre as duas festividades.

Significado da Páscoa

O termo hebraico Pessach significa passagem ou travessia. A Páscoa na cultura do povo hebreu está relacionada com a saída do Egito, liderada inicialmente por Moisés, após 400 anos de escravidão. 

Dessa forma, a Páscoa simboliza a travessia dos judeus pelo Mar Vermelho em direção à Terra Prometida.

Para os judeus, a passagem também faz referência a uma das pragas do Egito, quando o anjo da morte passou pela Terra levando os primogênitos egípcios e poupando os judeus, que marcaram as portas de suas casas com sangue de um cordeiro macho e sem defeito.

Para os cristãos, Jesus Cristo é, metaforicamente, reconhecido como o Cordeiro Pascal, que foi morto para salvar e libertar do pecado. Ele realizou a passagem da morte para a vida quando ressuscitou ao terceiro dia, durante o Pessach.

Data da Páscoa

Embora até por volta do século IV as duas comemorações fossem realizadas no mesmo período, o Concílio de Niceia, em 325 d.C., decidiu que, por ter significados diferentes, não era obrigatório que judeus e cristãos realizassem a Páscoa na mesma data. 

No calendário judaico, a Páscoa é uma das festas de peregrinação, comemorada no mês de Nissan, ao entardecer do décimo quarto dia.

O Pessach no judaísmo inicia-se na primeira Lua Cheia do equinócio de primavera, no Hemisfério Norte, e equinócio de outono, no Hemisfério Sul, sendo comemorado durante oito dias.

O dia da Páscoa cristã, ou seja, a ressurreição, é celebrado no domingo, após a primeira Lua Cheia do equinócio.

Comemoração da Páscoa

Devido à importância da Páscoa, judeus e cristãos realizam uma comemoração por uma semana, para relembrar os fatos históricos que motivam a festa.

Páscoa Judaica

A primeira Páscoa judaica foi celebrada com o abatimento de um cordeiro, cujo sangue foi passado pelas laterais das casas, e o animal assado e comido pela família ao entardecer do décimo quarto dia, segundo relatos do Antigo Testamento, no capítulo 12 do livro de Êxodo.

Com o passar do tempo, as pessoas começaram a peregrinar em direção à Jerusalém e lá comemorar a festa da Páscoa.

Os judeus celebram a Páscoa hoje também realizando um jantar em família com uma sequência, chamada de Hagabá, para a celebração.

Os rituais realizados na Páscoa dos judeus são: jejum, acendimento de velas, Seder e leitura do Pessach.

Ceia judaica

Os judeus comem na Páscoa iguarias que simbolizam o que foi vivido, como forma de relembrar o Êxodo.

A primeira parte da comemoração é marcada pelo Seder, que nas duas primeiras noites da festa reúne as famílias para fazerem uma refeição e contarem a história do Pessach.

Seder
Prato keará com os elementos simbólicos do Seder na Páscoa Judaica

Os símbolos da Páscoa Judaica, que compõem a mesa durante o Seder, são:

  • Três matzot (pães asmos), representando os três grupos judeus: sacerdotes, levitas e o povo de Israel.
  • Zeroá: osso de cordeiro ou ovelha, simbolizando o cordeiro oferecido em sacrifício.
  • Betsá: ovo cozido simbolizando a perseguição aos judeus e como isso os fortaleceu.
  • Marór: erva amarga para lembrar o sofrimento vivido durante o período no Egito.
  • Charósset: doce, cuja a cor lembra-os dos tijolos que confeccionavam para as construções do Faraó.

Durante a Páscoa, os judeus evitam ingerir comida a base de farinhas fermentadas, para lembrar que seus antepassados ao fugirem do Egito não tiveram tempo de preparar seu alimento. 

Já muitos cristãos, restringem o consumo de carne vermelha em respeito à morte de Jesus Cristo.

Páscoa Cristã

Embora o domingo de Páscoa seja o mais reconhecido, cristãos católicos realizam durante uma semana atividades que trazem a memória os fatos dos últimos dias de Jesus até sua crucificação e posterior ressurreição.

Na Semana Santa são relembrados seus passos, desde a Última Ceia, o Seder judeu, até a ressurreição no dia de comemoração do Pessach. A celebração segue a seguinte ordem:

Muitos cristãos evangélicos realizam a Santa Ceia durante o domingo de Páscoa, para relembrar a Última Ceia de Jesus com os discípulos. Como lembrança do sacrifício de Cristo, o pão simboliza o corpo e o vinho o sangue do Filho de Deus derramado na Cruz.