O calendário judaico (denominado luach, em hebraico) é o tipo de calendário que o povo judeu utiliza para a contagem do tempo e comemoração de aniversários, festividades, casamentos, falecimentos, celebrações religiosas e outras solenidades.

De acordo com os hebreus, os anos passaram a ser contados a partir do que eles acreditam ser a criação de Adão.

Em 2022, as comemorações do ano 5783 do calendário judaico iniciaram no pôr do sol do dia 25 de setembro, ano cujo término ocorrerá em 15 de setembro de 2023 do calendário gregoriano.

Ano judaico de 2020 a 2030

5781: 19 de setembro de 2020 (1 Tishri) a 6 de setembro de 2021 (29 Elul)
5782: 7 de setembro de 2021 (1 Tishri) a 25 de setembro de 2022 (29 Elul)
5783: 26 de setembro de 2022 (1 Tishri) a 15 de setembro de 2023 (29 Elul)
5784: 16 de setembro de 2023 (1 Tishri) a 2 de outubro de 2024 (29 Elul)
5785: 3 de outubro de 2024 (1 Tishri) a 22 de setembro de 2025 (29 Elul)
5786: 23 de setembro de 2025 (1 Tishri) a 11 de setembro de 2026 (29 Elul)
5787: 12 de setembro de 2026 (1 Tishri) a 1 de outubro de 2027 (29 Elul)
5788: 2 de outubro de 2027 (1 Tishri) a 20 de setembro de 2028 (29 Elul)
5789: 21 de setembro de 2028 (1 Tishri) a 9 de setembro de 2029 (29 Elul)
5790: 10 de setembro de 2029 (1 Tishri) a 27 de setembro de 2030 (29 Elul)

Ano no Calendário Judaico

O calendário judaico se baseia nos movimentos da Lua e do Sol, sendo, portanto, um calendário lunissolar. Dessa forma, os meses são contados a partir dos ciclos lunares, e os anos a partir dos ciclos solares. Portanto, os anos podem variar de 12 a 13 meses, com 29 ou 30 dias.

Então, os anos nesse sistema são 11 dias mais curtos em relação ao calendário gregoriano, que é o mais utilizado no mundo.

A fim de regular essa diferença, eles criaram anos bissextos, que, de tempos em tempos, incluem um mês. São no total 7 anos bissextos em 19 anos, e ocorrem no 3º, 6º, 8º, 11º, 14º, 17º e 19º ano desse período.

Meses no Calendário Judaico

calendário judaico

Os meses hebraicos (ou judaicos) correspondem aos seguintes meses no calendário gregoriano:

Calendário judaico Calendário gregoriano
Nissan março/abril
Lyar abril/maio
Sivan maio/junho
Tamuz junho/julho
Av julho/agosto
Elul agosto/setembro
Tishrei setembro/outubro
Chesvan outubro/novembro
Kislev novembro/dezembro
Tevet dezembro/janeiro
Shevat janeiro/fevereiro
Adar fevereiro/março
Adar 2 março/abril (nos anos bissextos)

Dias da Semana no Calendário Judaico

No calendário judaico, os dias da semana também são diferentes:

Semana Judaica Semana no Calendário Gregoriano
Iom Rishon início: noite de sábado / término: final da tarde de domingo (primeiro dia da semana)
Iom Sheni início: noite de domingo / término: final da tarde de segunda-feira
Iom Shlishi início: noite de segunda / término: final da tarde de terça-feira
Iom Revii início: noite de terça / término: final da tarde de quarta-feira
Iom Chamishi início: noite de quarta / término: final da tarde de quinta-feira
Iom Shishi início: noite de quinta / término: final da tarde de sexta-feira
Iom Shabat início: noite de sexta / término: final da tarde de sábado (último dia da semana)

Festas judaicas

Os judeus celebram diversas festividades para manter viva na memória do povo a história dos seus antepassados e também datas importantes do calendário.

As principais festas judaicas são:

  • Rosh Hashanah, o ano-novo judaico
  • Yom Kipur, o dia do perdão
  • Pessach, a Páscoa judaica

O Rosh Hashanah é o ano-novo judaico. Essa é a primeira celebração do calendário, que inicia na véspera do primeiro dia, Erev Rosh Hashanah. A celebração acontece desde o pôr do sol até o primeiro e segundo dia do sétimo mês, que são respectivamente 1 e 2 de Tishrei.

O Yom Kipur é o dia do perdão celebrado 10 dias após o início do ano, período chamado de Iamim Noraim (dias temíveis). A data é marcada por um jejum de mais de 24 horas e intensa oração.

O Pessach é a Páscoa judaica, que é celebrada durante 8 dias. Ela comemora a saída do povo hebreu do Egito, comandado por Moisés, em direção à terra prometida no primeiro mês do calendário religioso, Nissan/Abib. O Pessach também comemora a libertação da escravidão.

Saiba mais sobre essas e outras festas judaicas.

Origem do calendário judaico

Criado há mais de 3 mil anos, o calendário judaico tem sua origem em histórias religiosas.

Segundo a crença judaica, a lua nova do mês Nissan (correspondente a março/abril) teria sido apontada por Deus a Moisés pouco tempo antes da saída dos escravos hebreus do Egito.

O fato teria acontecido 2448 anos depois da criação do homem no mundo (Adão), que é considerado o ponto inicial na contagem de tempo desse calendário.

calendário judaico
Calendário antigo do povo hebreu

Curiosidades sobre o calendário judaico

Para o povo judeu o sábado (shabat) é considerado um dia sagrado, sendo, portanto, reservado para o descanso.

Diferente de outras culturas, os domingos são dias produtivos de trabalho.

Também é comum que as tardes das sextas-feiras sejam livres.

Conheça outros calendários utilizados no mundo: