O calendário islâmico, também chamado de calendário muçulmano ou التقويم الهجري (at-taqwīm al-hijrī, em árabe) é um calendário lunar, logo, a contagem dos dias é feita de acordo com a observação das fases da Lua.

Em 2019, teve início o ano 1441, que compreende o período entre 1º de setembro de 2019 e 19 de agosto de 2020.

O calendário muçulmano é utilizado oficialmente em muitos países, por exemplo, na Arábia Saudita. Mas também em muitas regiões com população muçulmana, o calendário é utilizado para marcar as celebrações religiosas, a exemplo do Ramadã.

História do calendário islâmico

O calendário islâmico foi criado por Hazrat Umar bin Al Khattab em 638 d.C. a fim de ajustar a contagem do tempo e corrigir os conflitos do sistema utilizado na época.

Umar foi o segundo califa do Islã e pessoa próxima ao Profeta Muhammad. Com a ajuda de seus conselheiros, a cronologia foi criada baseando-se em trechos do sagrado Alcorão.

O primeiro ano do calendário islâmico, ou ano 1, corresponde a 16 de julho de 622 d.C., quando ocorreu a Hégira ou Hijra, evento histórico do Islã, que se refere à migração do profeta Maomé de Meca para Medina. Por isso, o calendário também é chamado de calendário da Hijra.

Entenda como funciona o calendário islâmico

Nesse tipo de calendário um mês não pode iniciar até que a Lua mude para a fase crescente, que é posterior à lua nova. Por isso, há uma dependência das observações astronômicas. 

No calendário tradicional, um comitê ou pessoa designada para a observação, informa o início da lua crescente, determinando a duração de cada mês.

Se a lua crescente foi facilmente visualizada logo após o pôr do Sol, o dia seguinte é o início de um novo mês. Caso contrário, um dia a mais é adicionado ao mês atual. Por isso, os meses do calendário muçulmano possuem 29 ou 30 dias.

Versões modernas ajustadas por cientistas para prever o surgimento da lua crescente foram aderidas para facilitar a contagem do tempo e, por isso, o ano pode iniciar em diferentes datas, um dia antes ou depois, de um país para outro.

Divisão do calendário islâmico

Os meses do ano

Os meses do calendário correspondem a uma lunação completa, ou seja, o intervalo entre duas luas novas consecutivas. São eles:

  1. Muharram
  2. Safar
  3. Rabi al-Awwal
  4. Rabi al-Thani
  5. Jumada al-Awwal
  6. Jumada al-Thani
  7. Rajab
  8. Sha'aban
  9. Ramadan
  10. Shawwal
  11. Dhu al-Qidah
  12. Dhu al-Hija

No calendário islâmico, o ano inicia-se com o mês de Muharram e termina no mês de Dhu al-Hija. 

O calendário é dividido em meses de 29 dias, meses pares, e 30 dias, para os meses ímpares. Em um ciclo, que dura 30 anos, o último mês, Dhu al-Hija, recebe onze vezes um dia a mais para manter o calendário sincronizado com as fases da Lua.

Muharram, Rajab, Dhu al-Qidah e Dhu al-Hija são considerados meses sagrados, pois na cultura árabe tradicional nesses meses a paz era preservada e os combates eram proibidos ou suspensos. 

O Ramadan é o mês de sacrifício, onde os muçulmanos jejuam, rezam e leem as revelações sagradas do Alcorão.

Saiba mais sobre o Ramadã.

Os dias da semana

Os dias da semana do calendário muçulmano são:

  1. yaum al-ahad  (primeiro dia)
  2. yaum al-ithnayn (segundo dia)
  3. yaum ath-thalatha (terceiro dia)
  4. yaum al-arba`a (quarto dia)
  5. yaum al-khamis (quinto dia)
  6. yaum al-jum`a (sexto dia)
  7. yaum as-sabt (dia de sábado)

Nos países islâmicos, a semana inicia-se no domingo e termina no sábado. Os dias úteis são de domingo à quinta-feira, enquanto que sexta-feira e sábado representam o fim da semana. O descanso é realizado no sexto dia, sexta-feira, pois trata-se de um dia sagrado, reservado à oração.

Datas significativas e feriados

O ano novo islâmico é comemorado em um evento chamado de Al-Hijra, mudança do profeta Maomé de Meca para Medina, evento que sinaliza o primeiro dia do ano e início do calendário para os muçulmanos.

O Eid al-Moulid ocorre no décimo segundo dia do mês de Rabi al-Awwal, terceiro mês, comemorando o nascimento do profeta Maomé com festas e distribuição de comida aos pobres.

As principais festas islâmicas são: o Eid-al-Adha, fim da peregrinação à Meca - festa do sacrifício, no décimo dia de Dhu al-Hija, e o Eid-al-Fitr, término do Ramadã, no primeiro dia de Shawwal.

Diferenças entre calendário islâmico e calendário gregoriano

O calendário islâmico é um calendário lunar, baseado no movimento da Lua. Já o calendário gregoriano é solar, baseado no movimento da Terra ao redor do Sol.

O ano civil islâmico é mais curto, possui apenas 354 ou 355 dias, enquanto que o calendário gregoriano possui 365 ou 366 dias. No calendário islâmico, os meses variam entre 29 e 30 dias. Já no calendário gregoriano, os meses variam entre 30 e 31 dias, com exceção de fevereiro.

Essa diferença de aproximadamente 11 dias faz com que o calendário muçulmano não esteja sincronizado com o início das estações no ano. Por isso, muitos países muçulmanos adotam o calendário gregoriano como o ano civil, para facilitar as atividades ligadas às estações do ano, como a agricultura.

Conheça outros calendários utilizados no mundo: